quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Eucaristia


SACRAMENTO DA EUCARISTIA


1 – Incentive-se a participação do povo à celebração eucarística, ao canto litúrgico, à comunhão frequente, à adoração da Eucaristia, às Horas Santas e às bênçãos solenes do Santíssimo; onde estas celebrações caíram em desuso, sejam restabelecidas.
2 – A celebração da Santa Missa deve ser ordinariamente em lugar sagrado (c. 932 § 1).
3 – Os cânticos devem ser apropriados ao tempo litúrgico e às partes da Missa ou do ato celebrado, não se admitindo adaptações de músicas e letras profanas.
4 – os corais ou ministérios de canto devem ensinar, incentivar, sustentar e animar o canto litúrgico, durante a celebração e não fazer “exibição” de cantos.
5 – Para incrementar a participação à liturgia, se criem equipes de liturgia paroquiais com pessoas da comunidade.
6 – Os fiéis recebam a Eucaristia dentro da celebração eucarística, porém seja administrada fora da Missa quando o pedirem por justa causa e como exceção.
7 – Nas celebrações que ocorram pessoas sem vivência cristã o celebrante lembre as disposições necessárias para comungar (c. 916).
8 – Nas comunidades onde a Missa não é celebrada aos domingos e dias santos de preceitos, se celebre o Culto do Senhor, com leitura da Palavra, cânticos, orações e, se possível, a distribuição da comunhão. Presida estes Cultos o Diácono ou o Ministro da Palavra e da Eucaristia, devidamente instituído pelo Bispo. Nestas celebrações não se reze nenhuma parte da oração eucarística.
9 – As missas ligadas a ocasiões especiais (Formatura, 7° dia ou 30° dia de falecimento, aniversário e bodas), sejam celebradas na Igreja e nos horários costumeiros. Se for outro horário que não se prejudique o andamento da pastoral e que essas missas não sejam privilégio de algumas pessoas.
10 – As pessoas que não receberam sacramento do matrimônio e são casadas apenas civilmente, e querem comungar devem procurar o padre para um diálogo e um acompanhamento pastoral e, se possível, regularizar a sua situação.
11 – Antes da Primeira Eucaristia, os candidatos devem ser atendidos individualmente no Sacramento da Reconciliação. Aos pais, também, ofereça-se a mesma oportunidade.
12 – As Celebrações da Primeira Eucaristia revistam-se de aspecto festivo, piedoso e verdadeiramente comunitário e aconteçam normalmente na Paróquia.
13 – Haja restrição ao número de fotógrafos e cinegrafistas e os mesmos sejam, delicada e firmemente, convidados a colaborar com as celebrações, evitando distrações e distúrbios.
14 – O Ministro ordinário da sagrada Comunhão é o Bispo, o Presbítero e o Diácono (c. 910). Pode ser Ministro Extraordinário qualquer leigo idôneo da comunidade, indicado pelo Pároco e autorizado pelo Bispo por tempo determinado (Instrução da Sagrada congregação para disciplinas dos sacramentos Immensae Caritatis, de 29/01/1973).
Celebração da Palavra e Culto Dominical

“A celebração da Palavra de Deus, como expressão da Igreja reunida, supõe a presença de uma equipe de celebração que prepare, anime e integre os diversos serviços: do acolhimento fraterno, da presidência, da animação, do canto, da proclamação das leituras e de outros. Para o seu bom desempenho, requer-se para a equipe a formação litúrgica. Convém que dela participem crianças, jovens, homens e mulheres” (Documento 52 da CNBB, n° 42).

“A dignidade da Palavra de Deus requer, no espaço celebrativo, um lugar próprio para sua proclamação. Convém que a Mesa da Palavra ocupe lugar central. Nela são proclamadas as leituras bíblicas. Ali, aquele que preside dirige-se à assembleia e profere as orações. Para a Mesa da Palavra convergem as atenções de todos os presentes” (Documento 52 da CNBB, n ° 46).

                        CELEBRAÇÃO DE MISSAS

1 – O Cânon 905 declara que não é lícito ao Sacerdote celebrar mais de uma missa por dia, salvo exceções. O critério para a nossa Diocese, vista a carência de clero, é este:
· Nos dias de semana é possível celebrar uma só vez;
· Nos finais de semana (sexta e sábado) podem-se celebrar duas missas e
· Nos domingos e festas de preceito podem-se celebrar três missas.
            Para necessidades que forem além destes critérios, é necessário recorrer ao Ordinário Diocesano.

2 – Em nossa Diocese são proibidas as Missas Particulares; em casos extraordinários peça-se licença ao Bispo, cuidando, porém, de respeitar os dias e os horários, já previstos, das celebrações.

3 – A espórtula de qualquer Missa deverá entrar no Caixa da Paróquia ou da Comunidade.

4 – Quando as intenções de Missas são muito numerosas, não é viável lê-las antes da celebração, mas é bom colocar a lista das intenções numa bandeja sobre o altar e no mural da Igreja para que as pessoas possam conferir.


 

Assine a nosso Email

Contate o nosso Email:

pascom.diocesejuazeiroba@gmail.com

Tema Campanha da Fraternidade 2017

"Biomas brasileiros e defesa da vida."