segunda-feira, 16 de março de 2015

PILÃO ARCADO: ESCOLAS FECHADAS APESAR DO ANO LETIVO JÁ TER COMEÇADO


O descaso com a educação pública em Pilão Arcado ainda beira o absurdo. Para se ter uma ideia da situação, mais de um mês após o prazo para o início do ano letivo municipal, 9 de fevereiro,   em várias escolas do interior não há nenhum  sinal de quando as aulas vão começar.

Para o mês de fevereiro estavam previstos 13 dias de aulas. Mas em escolas como a João Félix Marcos, mostrada na imagem, nenhum dia letivo ocorreu. Neste mês de março, até a data da sexta-feira 13, já foram perdidos 10 dias de ensino.

Na escola da comunidade de Vereda da Onça, exibida na fotografia, os alunos e alunas da região devem esperar não se sabe ainda quanto tempo para terem o direito de estudar. Isso porque a unidade escolar está totalmente abandonada.  De portão fechado, muro rachado, cisterna seca, e salas completamente sujas, o estado da unidade escolar revela que há muito tempo nenhuma atividade de ensino é realizada ali.

O que acontece em Vereda da Onça também se repete em outras regiões de Pilão Arcado. Nas regiões dos Brejos, segundo moradores da área, as aulas também estão atrasadas. “Até essa semana não houve aula em nenhuma escola por onde passei e nem houve reforma nas escolas. Já disseram várias dadas para o início do ano letivo, 23 de fevereiro, nove de março, mas até 11 de março não tinha iniciado nenhuma aula naquela região”, revela o agricultor Januário de Sena.

Na sede do município os problemas também existem. De acordo com uma mãe de aluno da rede municipal, em 2014, vários alunos foram aprovados automaticamente mesmo com dezenas de faltas devido à ausência de transporte da zona rural para as escolas localizadas no centro urbano. Neste ano, o problema da falta de transporte escolar também é relatado por várias famílias. 

A situação lamentável da educação em Pilão Arcado levou a sociedade civil organizada juntamente com diversos pais e mães de alunos a formularem uma denúncia à Promotoria Pública em 2014. Porém, como revelam os depoimentos e as imagens, a situação não mudou muito. Na ocasião, o prefeito João Ubiratan chegou a assinar um Termo de Ajustamento de Conduta imposto pelo promotor Sebastião Coelho. 

Em 2014, comunidades rurais afirmam que algumas unidades escolares só funcionaram durante 70 dias letivos. Por lei, as escolas  devem oferecer  200 dias de aula a cada ano. 

Por Conselho Popular de Saúde e Meio Ambiente de Pilão Arcado via Blog da CPT Juazeiro

 

Assine a nosso Email

Contate o nosso Email:

pascom.diocesejuazeiroba@gmail.com

Tema Campanha da Fraternidade 2017

"Biomas brasileiros e defesa da vida."