terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

ARTIGO: NOSSA SENHORA DAS GROTAS E APARECIDA NO SAMBA

O sagrado e o profano não têm distinção no meio do povo. Conforme a famosa frase de Moraes Moreira “sagrado e profano o baiano é carnaval”. O que interessa é a festa. Os demais elementos vêm como auxiliares, inclusive se o enredo for sobre Nossa Senhora Aparecida ou Nossa Senhora das Grotas abrindo o desfile de Grande Rio em homenagem à Ivete Sangalo.

Imagem de N. Sra. das Grotas no desfile da Escola de samba Grande Rio, no desfile em homenagem a Ivete Sangalo na madrugada desta terça-feira (27)

Mas, observando mais fundo, há elementos arquetípicos nessas Marias bem brasileiras. Eu conheço bem ambas, por ter estudado em Aparecida e por morar em Juazeiro, onde Nossa Senhora das Grotas é padroeira. Viajando o Brasil, acabei fazendo um CD chamado “Maria e Ecologia”.


Um detalhe, Nossa Senhora das Grotas é mais antiga que Nossa Senhora Aparecida. Encontrada em 1707 nas grotas do Rio São Francisco por um índio, que a entregou a um vaqueiro e esse a entregou ao missionário que pregava nos sertões. A festa de 300 anos dessa Maria foi em 2007.

A homenagem à Ivete levou para a avenida não só Nossa Senhora, mas as lendas e mitos do São Francisco, como o Nego D’Água – estranho, de amarelo -, a Mãe D’Água, as carrancas e até a serpente que está presa por três fios de cabelos de Nossa Senhora na Ilha do Fogo, que está justamente entre Juazeiro e Petrolina.

Já Nossa Senhora Aparecida, encontrada no rio Paraíba, completa 300 anos de sua história agora em 2017. O carnavalesco viu aí um tema importante para grande parte do povo brasileiro e fez dele um carnaval.

Entretanto, hoje o rio São Francisco é um fiapo de água e o rio Paraíba um esgoto a céu aberto. Pescadores e índios não encontrariam mais a Aparecida em suas redes, simplesmente porque nem é possível mais pescar naquelas águas. Nossos índios do São Francisco não têm muito mais que fazer procurando peixes nas grotas – buracos nas pedras – do rio São Francisco.

Aí que a figura arquetípica de Maria, encontrada sempre em rios, por pessoas simples como pescadores, índios, caboclos, vaqueiros, etc., mostra seu lado evangelizador e ecológico.



Nessa Campanha da Fraternidade de 2017, comemorando os 300 anos de Aparecida, que a Senhora das Grotas, de Aparecida, do Círio de Nazaré (encontrada num igarapé) e tantas outras manifestações marianas, nos ajudem a cuidar de nossos biomas, sem os quais não teremos mais rios.

OBS: Tenho uma música contando a história de Aparecida e outra contando a história de N. S. das Grotas. Seguem os links abaixo para os interessados.
http://robertomalvezzi.com.br/albuns/maria-ecologia/ (Ctrl + click, segunda faixa)
https://www.youtube.com/watch?v=mrlmBRuz3TA (Vídeo Youtube)


Por Roberto Malvezzi (Gogó)
Fotos: Geania Rocha - Pascom

 

Assine a nosso Email

Contate o nosso Email:

pascom.diocesejuazeiroba@gmail.com

Tema Campanha da Fraternidade 2017

"Biomas brasileiros e defesa da vida."