sábado, 18 de março de 2017

CF 2017 SERÁ DEBATIDA EM JUAZEIRO NO DIA MUNDIAL DA ÁGUA

Na natureza tudo é interligado. Uma vida só pode existir porque outra lhe dá as condições. Por isso quando essa rede não é respeitada os desastres afetam a todos. Infelizmente no Brasil, tão rico em fauna e flora, os riscos de exploração e destruição em cada um de seus biomas é algo preocupante.



Com o objetivo de despertar a atenção da sociedade para o problema, a Igreja católica lançou em todo o país a Campanha da Fraternidade 2017, com o tema “Biomas brasileiros e defesa da vida”. Em território nacional a campanha segue até a Páscoa, mas conta com iniciativas que visam perdurar no tempo (confira no final do texto).

Em Juazeiro, a Diocese fará no dia mundial da água – 22 de março, quarta-feira – uma coletiva de imprensa sobre a campanha a nível local. Estarão presentes o bispo Dom Beto Breis e Roberto Malvezzi (Gogó), especialista no tema, membro da Comissão Pastoral da Terra e um dos autores do texto-base da CNBB sobre os biomas. O evento acontecerá às 9h na Catedral N. Sra. das Grotas.

A caatinga será um dos principais assuntos. Bioma essencialmente brasileiro, mas que em diversos locais passa por um avançado processo de desertificação, e onde muitas populações ainda sofrem pela pobreza extrema, a caatinga ainda carece de ser mais bem conhecida e preservada. Um dos principais desafios ainda é o preconceito que impede de ver o potencial da região quando se aprende a conviver com o semiárido.

O Brasil é oficialmente composto por seis biomas: caatinga, Amazônia, cerrado, pantanal, mata atlântica e pampa. Cada um sendo caracterizado por uma rede de seres vivos que dividem uma mesma região, com vegetação própria, clima uniforme e uma história comum. A defesa de cada bioma passa por mudanças de atitude individuais e coletivas que toda a sociedade é chamada a empreender.


Campanha sugere ações concretas para cuidado com os biomas:


1 – Incentivar a criação de um projeto de lei que impeça o uso de agrotóxicos;

2 – Apoiar os povos tradicionais nas mobilizações e nas lutas por direitos e regularização de seus territórios;

3 – Fortalecer as iniciativas como as cooperativas, baseadas no agroextrativismo;

4 – Promover a conscientização quanto ao descarte adequado dos resíduos sólidos e esgotos sanitários para preservar os rios, lagoas e igarapés;

5 – Fomentar ações relacionadas a despoluição e revitalização das bacias hidrográficas e baías;

6 – Incentivar o desenvolvimento de projeto de preservação e valorização das frutas e ervas medicinais;

7 – Desenvolver a captação de energia solar descentralizada, como fonte de renda para as famílias e produção de energia;

8 – Reformular e ampliar a rede de captação de água de chuva para beber e produzir;

9 – Fortalecer as políticas públicas para melhoria do saneamento básico e transporte público de qualidade;

10 – Reforçar a Rede Panamazônica (Repam), como espaço de articulação e intercâmbio das várias redes eclesiais que atuam em conjunto na sociedade amazônica.


Por Mirrail Menezes (Pascom diocesana)

 

Assine a nosso Email

Contate o nosso Email:

pascom.diocesejuazeiroba@gmail.com

Tema Campanha da Fraternidade 2017

"Biomas brasileiros e defesa da vida."